Dicas de Segurança

SEGURANÇA PATRIMONIAL

É muito importante conhecermos o conceito de segurança para podermos desenvolver ações
preventivas.


A palavra segurança tem sua origem do latim “securitas” - medidas destinadas à garantir a integridade de pessoas, bens e instituições.

É a integração de medidas e normas, com adequações físicas, agregadas ao profissional especializado e a alta tecnologia.

O maior desafio da segurança, é antever e dar soluções para as situações de perigo.

Não se pode esquecer que a responsabilidade pela segurança do sistema é de TODOS.

Qual a maior arma utilizada pelos bandidos?

É O FATOR SURPRESA!

Por isso, a melhor maneira de evitar um sinistro é fazer um trabalho de PREVENÇÃO.

Neste trabalho devem ser analisados os riscos pessoais e das instalações físicas.Os síndicos devem solicitar aos consultores de segurança que o assessorem nas analises dos riscos e na elaboração dos planos de segurança do condomínio. De posse dessas informações deve-se elaborar um Plano de Segurança, que pode ser dividido em 3 etapas.

1ª PLANO FÍSICO – é a analise criteriosa das instalações físicas onde deve-se adequá-las visando dificultar o acesso evitando ao máximo a invasão.
Ex. Construção de clausuras nas entradas de pedestres e nos acessos à veículos.

Como aliado importante, temos a utilização dos equipamentos eletrônicos, que tem como principal função, auxiliar os funcionários e moradores na vigilângia das instalações.

Ex.: Controle de Acessos - Sensores de alarmes – Circuito Fechado de Televisão (CFTV)

2ª PLANO OPERACIONAL – consiste em procedimentos operacionais com regras especificas para cada integrante do sistema (condômino - moradores – funcionários e usuários), as quais deverão ser aprovadas em assembléia e obedecidas por TODOS.

3ª PLANO DE CONTINGÊNCIA - definição das situações críticas, de modo que todos os envolvidos no sistema, durante a concretização do risco possuam um roteiro de ações que devem ser implementadas, visando o restabelecimento da normalidade, tendo em vista que toda situação crítica gera uma urgência.

Após a fase de planejamento deve-se dar muita atenção ao treinamento dos funcionários que estarão na operação de todo o sistema e conscientizar os condôminos e moradores, através de palestras, circulares e quadros de avisos, para manterem-se integrados.

Algumas Dicas:

• Telefone na portaria e um sistema de alarme que toque em algum prédio vizinho;
• Monitoramento por empresa especializada com botões de pânico para o zelador,porteiro e vigias;
• Equipamentos auxiliares compatíveis com seu prédio: alarmes, sensores, circuito fechado de TV (CFTV), vigias com rádios transmissores e receptores, etc.;
• Caso o condomínio não tenha condições da aquisição de algum equipamento, é possível realizar a locação e definir as prioridades;
• É aconselhável manter boa iluminação nos locais de acesso ao prédio, portões eletrônicos nas garagens, espelhos côncavos nas portarias para melhor visão dos visitantes, vigilância nas escadarias e garagem dos prédios.
• Os treinamentos e a orientação aos vigias e porteiros sobre os procedimentos adequados são essenciais;
• Como é proibido reter documentos, é aconselhável exigir apresentação do mesmo, anotando num livro nome, número e apartamento que o visitante irá, não esquecendo de verificar a autenticidade. Nos condomínios comerciais, é importante ter um sistema de controle de acesso eletrônico;
• Manter ficha cadastral com dados de todos os moradores e funcionários, possibilitando sua rápida localização e/ou dos familiares em caso de emergência.

 
Texto retirado do site: http://www.secovi.com.br/condominios/